por Fabíola Carvalho

Em Busca da Identidade Perdida

maio 3, 2015 15:28

Lá em Washington falaram que a gente gostaria que a Gisele fosse a imagem do Brasil. E eu me pergunto, que outro país não gostaria ? Até o marido dela, que é americano (e a imagem do Estados Unidos), é parecido com ela.

Os lindos, ricos e atléticos estão aí para despertarem uma vontade de identificação que infelizmente aqui no Brasil não se realiza. Nossos atletas, assim como a Gisele nem moram no Brasil. Seria um exagero da nossa parte querer que a Gisele significasse a gente como um todo.

Como um todo a gente não é nem Romero Britto, o artista neo-Pop colorido e festivo, conhecido internacionalmente, amado pela massa e odiado pelos colegas.

Como um todo a gente não é nem Paulo Coelho , imortalzão french style, amado pela massa e odiado pelos colegas.

Como um todo, nem toldo. É tudo sem cobertura mesmo, sem verniz.

É tipo um mural do Portinari de mais de 14 metros, feito em parceria com a Vidrotil no hospital do câncer em São Paulo.